EMPARN espera a aprovação do projeto de palma forrageira

|

Objetivo é expandir o plantio de palma no RN para ração animal

Depois de extensa negociação, o Diretor-Presidente da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), José Geraldo Medeiros da Silva, espera que seja aprovado o projeto de palma forrageira, para ração animal, no valor total de R$ 10 milhões.  Recentemente ele esteve em Brasília para participar de reunião no Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e tratar de futuras parcerias na área de formação de agentes de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER).

O Presidente da EMPARN aproveitou a oportunidade e esteve na Secretaria de Agricultura Familiar (SAF), do MDA, tratando do encaminhamento para a aprovação do projeto de palma forrageira adensada irrigada, cuja proposta original foi apresentada ao MDA pelo pesquisador Guilherme Ferreira da Costa Lima, Coordenador de Pesquisa em Produção Vegetal da EMPARN, em maio deste ano.

O projeto tem o objetivo de desenvolver pesquisas científicas complementares para alargar os conhecimentos já adquiridos pela instituição de pesquisa agropecuária do Rio Grande do Norte, para a produção de palma forrageira nas condições climáticas do semiárido do Estado. Será estruturada também uma área de 50 hectares a ser instalada nas estações experimentais da EMPARN, para a produção de raquetes, das mais promissoras espécies de palma estudadas, a ser disponibilizadas como sementes aos agropecuaristas, dando suporte a um programa de expansão da cultura em todo o território estadual.

Conforme entendimentos mantidos entre o Presidente José Geraldo com o chefe de gabinete da SAF, Sr. Onaur Ruano, a EMPARN está readequando a proposta anteriormente encaminhada, visando a liberação da primeira parcela dos recursos, no valor de R$ 3,8 milhões, ainda este ano. Os recursos complementares, no valor de R$ 6,2 milhões, deverão ser liberados em três parcelas nos próximos anos.

As condições ora pactuadas, com a negociação de recursos totais de R$ 10 milhões, demonstram o interesse do MDA em oferecer aos produtores rurais tecnologias adequadas de produção de forragem para os seus rebanhos, para o uso durante os períodos de estiagem e seca.

Publicado por Gustavo Nóbrega

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário!

 

No ar desde ©2006 Blog do Gustavo Nóbrega | Extrutura atual / Template Blue desenvolvido por TNB modificado por Net Serviços